ComportaUtopia
"É nossa missão criar um ecossistema exemplar onde a economia e a ecologia se unem de forma a preservar o território e a população"
Problemas

Como é do conhecimento público, uma parcela significativa do território da Comporta está a ser vendida, na sequência da falência do Grupo Espírito Santo (GES) e no quadro do processo de resolução financeira das empresas associadas.

A Herdade da Comporta (HdC), que se extende por 12 500 hectares, é detida por duas empresas: a HdC — Actividades Agro Silvícolas e Turísticas, S.A. e o Herdade da Comporta — Fundo Especial de Investimento Imobiliário Fechado, ambas controladas em maioria pela holding luxemburguesa Rioforte.

O Fundo detém 1 380 hectares, onde foram projectados dois projectos turísticos, iniciados pelo GES e suspensos após o colapso do Banco Espírito Santo (BES), que agora estão em processo de venda.

De acordo com os plano inicial do fundo da HdC, são duas as áreas de desenvolvimento turístico (ADT) à venda:

  • Comporta Dunes (ADT3 – NDT Carvalhal): 551 Ha (349 000 metros quadrados urbanizáveis), a este da Praia do Pego
  • Comporta Links (ADT2): 365 Ha (289 000 metros quadrados urbanizáveis), entre o Comporta Village e a Torre
  • Outros terrenos: 4 Ha, entre Lagoas e Possanco

O plano urbanístico autorizado pelos municípios de Grândola e Alcácer do Sal permite a construção muito elevada em 639.000 (349.000 m² para o Dunes e 289.000 para o Links).

Mapa Comporta Links e Comporta Dunes

Mapa da área do Comporta Links e Comporta Dunes

Está, portanto, autorizada a construção de numerosos edifícios com uma densidade muito elevada e impactos ecológicos brutais,  a que é preciso somar as consequências ambientais das infraestruturas, estradas e outras partes comuns.

De acordo com o plano conhecido de desenvolvimento urbanístico das duas ADT, no Comporta Dunes foram projectados hotéis, complexos residenciais e campos de golfe para albergar um total de 1840 quartos, apartamentos e vilas.

No Comporta Links, estava planeada a construção de 1553 quartos, apartamentos e vilas em diferentes unidades residenciais e hoteleiras. (ver quadro abaixo).

Planos de alta densidade de construção autorizados para construção na HdC

Um plano urbanístico que é o resultado de políticas antigas, baseadas em convicções erradas sobre o interesse público de longo prazo e concebido sem uma visão estratégica que defenda o bem-estar dos cidadãos e o equilíbrio do ecossistema da Comporta.

No conjunto, estas edificações e manipulações do território constituem uma agressão profunda ao ecossistema, afetarão irremediavelmente a paisagem, as dunas, as árvores, os arbustos e toda a fauna e flora deste lugar excecional.

 

Consulte aqui o artigo de opinião assinado por Luisa Schmidt, na edição em papel do Expresso, que explica o que está em causa na venda da Comporta.