ComportaUtopia
Testemunho
Jorge Guimarães

Jorge Guimarães

Arquiteto

Num território dominado por dunas e onde a flora e a fauna conseguiram sobreviver até aos nossos dias, os exemplos de arquitetura tradicional que temos foram feitos a partir de colmo e de madeira, dada a escassez de materiais existentes na zona. Sem barro para construir em taipa como era hábito no Alentejo e sem pedra para erguer o que quer que fosse, estamos perante um tipo de construção muito efémera e cuja manutenção periódica era obrigatória.

Trata-se de uma pequena região circunscrita por água doce e água salgada, muito frágil do ponto de vista ambiental onde qualquer pequena intervenção tem um impacto enorme. A especulação imobiliária sob a chancela de turismo ecológico ou qualquer outro nome que seja não passa de um embuste.

Esse tipo de modelo de “desenvolvimento” não só seria totalmente inadequado e errado como também, a ser implementado nesta zona, iria desestabilizar, destruir, e criar algo de irreversível para as gerações futuras…

Embora haja legislação no sentido de tutelar e salvaguardar esta região, muito tem que ser corrigido e feito.

O projeto Comporta Utopia vai exatamente ao encontro de um modelo alternativo e sustentável que tem como premissa principal a salvaguarda dos valores ambientais, culturais e sociais da região.

É um projeto que necessita de todos nós!